O que é fenomenologia?


Fenomenologia é o estudo dos fenômenos, tal como se apresentam à consciência, deixando de lado preconceitos, suposições ou generalizações sobre como sejam, buscando captar o modo como são captados pela consciência.

Trata-se de um método utilizado para compreender as situações e a existência humana, sendo utilizado pela psicologia, filosofia, antropologia, história e pedagogia. O interesse da fenomenologia não é o mundo objetivo, mas o modo como o entendimento de mundo se realiza para cada pessoa. Sua prática visa a retornar a nossa captação de mundo a um estágio pré-reflexivo, antes das representações e construções conceituais sobre ele.

"O interesse da Fenomenologia não é o mundo que existe, mas sim o modo como o conhecimento do mundo se dá, tem lugar, se realiza para cada pessoa."
(Rubem Queiroz Cobra)

Edmund Husserl (1859-1938) buscava descrever os objetos tal como os via e tocava, e deste modo extrair filosofia. Ele percebeu que todo movimento é relativo ao observador, e as coisas são tais como os fenômenos que se apresentam à nossa consciência. As ideias só existem porque são ideias sobre coisas, a consciência e o fenômeno não existem separados um do outro.

Trata-se de um questionamento sobre como se dá a percepção do que está ao nosso redor. Não busca um objeto ideal a ser descoberto, mas compreender como o fenômeno se apresenta. A fenomenologia é um método utilizado para trabalhar com a psicoterapia existencial, que não se busca uma descrição ideal ou teórica sobre o que é percebido, mas uma compreensão do fenômeno tal como ele se mostra.

"A palavra 'fenomenologia' significa 'o estudo dos fenômenos', onde a noção de um fenômeno e a noção de experiência, de um modo geral, coincidem. Portanto, prestar atenção à experiência em vez de àquilo que é experienciado é prestar atenção aos fenômenos."
(David Cerbone, em 'Fenomenologia', 2014)

A consciência é caracterizada pela intencionalidade, não existe objeto separado da consciência deste objeto, pois toda consciência é 'consciência de' alguma coisa, onde a consciência se dirige para os objetos, sendo esta a doadora de sentidos, que atribui significados ao que é percebido. O resultado dessa intencionalidade compõe o modo como captamos a realidade. O objeto só pode ser percebido a partir de sua relação com uma consciência.

A consciência é pura atividade, que constitui significações, atribuindo sentido ao vivido das coisas. Fenômeno é tudo o que percebemos, e tudo o que aparece só pode aparecer para uma consciência, sendo ela própria o fenômeno. Quando percebemos algo, nossa observação está muitas vezes carregada de experiências prévias, conhecimentos, valores, história de vida, afetos e desafetos com relação ao que observamos.

Para aproximar-se da experiência com a coisa percebida, a fenomenologia utiliza o método de redução fenomenológica, que consiste no exercício de se distanciar das crenças, teorias, valores e experiências que temos sobre a coisa observada, colocando-as "entre parênteses", para observar o que percebemos do modo como essa coisa se apresenta à nossa consciência, evitando julgamentos prévios.

A redução fenomenológica requer a suspensão das atitudes, crenças, teorias, e todo o conhecimento prévio das coisas do mundo a fim de concentrar-se exclusivamente na experiência originária. Significa, portanto, restringir o conhecimento ao fenômeno da experiência de consciência, a análise da consciência para encontrar sua experiência originária.

"Dou uma pequena pista para quem quer escutar: não se trata de ouvir uma serie de frases que enumeram algo; o que importa é acompanhar a marcha de um mostrar."
(Martin Heidegger)

O conhecimento que temos de mundo é fruto de uma experiência de nossa consciência. Não é possível nos livrar de nossa subjetividade e ver as coisas em como são em si mesmas, pois em toda experiência da consciência estão envolvidos os nossos sentidos, e o modo como percebemos aquilo que é observado, tem um significado especial para nossa consciência.

A fenomenologia busca analisar a intencionalidade da consciência humana e compreender os fenômenos que se apresentam à percepção. É um estudo do modo como os fenômenos ou eventos são captados pelo indivíduo. O método fenomenológico se declara como uma 'volta as coisas mesmas', isto é, aos fenômenos, aquilo que aparece à consciência, que se dá como objeto intencional.

Essa busca de 'voltar as coisas mesmas' consiste em retornar ao mundo como sentimos e experimentamos, antes de qualquer orientação teórica, pressuposições ou preconceitos sobre as coisas percebidas, retornando à experiência vivida. A percepção é um modo de nossa consciência se relacionar com o mundo mediada por nosso corpo, sendo o modo da consciência se relacionar com as coisas.

Alguns dos autores relacionados ao estudo da fenomenologia são Wilhelm Dilthey (1833-1911), Franz Bretano (1838-1917), Edmund Husserl (1859-1938), Max Scheler (1874-1928), Karl Jaspers (1883-1969), Martin Heidegger (1889-1976), Friedrich Perls (1893-1970), Jean Paul Sartre (1905-1980) e Maurice Merleau-Ponty (1908-1961).

"A verdadeira filosofia consiste em reaprender a ver o mundo."
(Maurice Merleau-Ponty)


Por Bruno Carrasco, psicoterapeuta existencial.
O que é fenomenologia? O que é fenomenologia? Reviewed by Bruno Carrasco on 02:27 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.