O que é Biblioterapia?


Biblioterapia é uma forma de terapia que faz o uso de textos, livros e atividades de leitura com uma função terapêutica. O termo surge numa junção do grego "Biblion", que significa livro, e "Therapeia", que corresponde à terapia, cura e recuperação.

É um procedimento que busca promover o cuidado e atenção aos afetos, dificuldades e sofrimento emocional, por meio da atividade da leitura e diálogo. Pode-se utilizar de histórias, interpretação de textos, poesia e poemas, contos, e todo tipo de conteúdo que possibilite um envolvimento com a condição em que a pessoa estiver atravessando, incentivando uma compreensão mais ampla e aprofundada sobre sua situação.

Em sua prática, o biblioterapeuta escuta as dificuldades da pessoa atendida, buscando materiais em que se possa identificar suas dores com a de personagens de livros, contos e afins, possibilitando uma relação entre a literatura e a situação vivenciada pela pessoa. Essa atividade possibilita um contato mais próximo com suas emoções e o encontro de meios para lidar com suas dificuldades.

Inicialmente parte-se da análise da situação vivenciada pela pessoa que busca este tipo de cuidado, para depois se pensar nas leituras que possam auxiliar a compreensão e ao enfrentamento de situações difíceis. O procedimento inicial é feito pelo psicoterapeuta, e a atividade seguinte pode ser feita por bibliotecários.

A escolha dos materiais de leitura é feita de acordo com as condições de cada pessoa, seus gostos pessoais, seu grau de escolaridade e familiaridade, faixa etária, etc. Após a leitura, é proposto um diálogo com o psicoterapeuta sobre a interpretação do texto e possíveis reflexões suscitadas, este procedimento pode ser feito individualmente ou em grupo.

Essa atividade que pode ser utilizada com intuito terapêutico e preventivo, com o propósito de possibilitar uma experiência de saúde emocional e cognitiva, bem como estimular o desenvolvimento pessoal. É feito por meio da interação entre o leitor e a literatura, possibilitando seu autoconhecimento e o encontro de meios para lidar com suas dores.

Durante a leitura há quatro etapas que constituem as fases do processo biblioterapêutico:

  • Identificação: momento onde o leitor se identifica com uma situação ou personagem, possibilitando compreender os seus próprios conflitos relacionando com os conflitos do personagem identificado;
  • Catarse: quando o leitor liberta sentimentos reprimidos e se sente aliviado por meio da leitura dos desafios experimentados pelos personagens;
  • Discernimento: momento em que o leitor faz um juízo de valor sobre o que leu e estabelece um contraponto entre a sua experiência e a do personagem;
  • Universalização: quando se estabelece uma relação entre o que acontece no texto e a vida do leitor, onde o leitor percebe que não está só com relação às suas inquietações, constatando que outras pessoas experimentam desafios parecidos.

Há muitos benefícios no processo terapêutico por meio da leitura, entre eles:

  • O processo de leitura é um tipo de intervenção não invasiva, sendo facilmente aceita em situações mais difíceis ou constrangedoras;
  • Incentiva a autonomia do leitor e o seu papel ativo no processo terapêutico, por se colocar como responsável por sua leitura e reflexão;
  • Possibilita o leitor a perceber outras perspectivas e a descobrir outras formas de pensar e sentir;
  • Facilita o desenvolvimento emocional do leitor por meio das experiências de outras pessoas, sejam estes personagens de ficção ou não;
  • Gera a capacidade de avaliar questões cotidianas com mais clareza;
  • Assinala novos modos de percepção e ação, diante de situações semelhantes;
  • A identificação com um personagem pode libertar sentimentos e pensamentos, conduzindo à descoberta de novas formas de agir;
  • Possibilita uma percepção mais apurada condição existencial do leitor e favorece a redução da ansiedade;
  • Potencia o autoconhecimento por meio da reflexão.

Na prática, a biblioterapia pode ser realizada por meio de uma entrevista inicial, seguida de pesquisa de livros e sugestões de leitura de acordo com o perfil e necessidades da pessoa entrevistada, sugestão de até dez títulos para leitura e consultas de acompanhamento. Pode ser utilizada com função terapêutica, como também para o desenvolvimento pessoal.

"Livros não mudam o mundo, quem muda o mundo são as pessoas. Os livros só mudam as pessoas."
(Mário Quintana)


Por Bruno Carrasco, psicoterapeuta existencial.
Tecnologia do Blogger.